Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

História da companhia de seguros Tranquilidade

Em ano de aniversário (140 anos) queremos deixar aqui o testemunho histórico de uma seguradora que não esquece o seu passado mas que tem os olhos postos no futuro: a Tranquilidade. Com quase um século e meio de existência a seguradora soube acompanhar as mudanças que o mercado foi impondo ao longo de todos estes anos. Com presença marcada em três séculos diferentes a Tranquilidade mantém uma atitude jovem e dinâmica. E, apesar do actual quadro de crise, a Tranquilidade garante estar “preparada para continuar a marcar a diferença” como refere Peter Brito e Cunha, presidente da Comissão Executiva da Seguradora.

Tranquilidade surge no Porto

Em 1871 a cidade do Porto viu nascer aquela que se tornaria uma das maiores seguradoras portuguesas. Com o nome “Companhia de Seguros Tranquilidade Portuense” a seguradora iniciou a sua atividade com um capital de 400 mil reis e estava vocacionada para os seguros de incêndio, uma das maiores preocupações do século XIX – uma vez que existiam grandes armazéns e fábricas repletas de maquinaria. No início do século seguinte, em 1918, a firma Espírito Santo e Companhia torna-se agente da seguradora para a região compreendida entre o Mondego e o Algarve.

Moçambique e Angola

Por motivos de alteração dos estatutos, em 1935 a seguradora passa a designar-se por Companhia de Seguros Tranquilidade. Ainda neste ano alarga o seu raio de ação ao ramo automóvel e aos seguros Vida. Sempre em crescimento dez anos mais tarde inicia a sua atividade em Angola e dois anos depois em Moçambique.

Em 1968 é inaugurada, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, aquela que é hoje a sede da seguradora, integrando vários serviços como um hospital.

Nacionalização e Privatização

Em 1975 a seguradora é nacionalizada e cinco anos mais tarde é objeto de um processo de fusão com A Nacional e a Garantia Funchalense. O nome também muda passando a designar-se por Tranquilidade Seguros EP. No entanto 15 anos mais tarde, em 1990, a companhia é privatizada e regressa ao controlo accionista do Grupo Espírito Santo. 1994 marca o início da atividade da Companhia de Seguros Tranquilidade Vida SA e da Esumédica – Prestação de Cuidados Médicos SA.

T-Vida e LOGO nascem

Em 2006 a Tranquilidade constitui a T-Vida. A Espírito Santo Seguros altera o nome para BES Seguros e a Tranquilidade Vida passa a designar-se por BES Vida. Em 2007 tanto a Tranquilidade como a T-Vida recebem uma nova imagem que se pretende mais jovem.

A Seguradora directa LOGO é criada em 2008 e trabalha exclusivamente através dos canais telefónico e internet.

Mais recentemente em 2010 a seguradora adquire o controlo da espanhola Pastor Vida. Desta forma a Tranquilidade passa a poder comercializar seguros de vida e planos de pensão numa rede de 600 balcões do Banco Pastor.

Como todos os desafios do passado também os do presente se avizinham prometedores. Neste momento a Tranquilidade prepara-se para consolidar a sua presença no mercado internacional em países como Espanha, Líbia, Angola e Cabo Verde.

Subscrever actualizações

rss

Comentários

  1. Ana Laginha diz:

    É possível saber em que ramo devo enquadrar um seguro para o recheio, montras, vandalismo, etc, para uma loja que explorarei por 4 anos, sendo não um espaço aberto ao público mas um atelier que irei abrir em breve e onde já iniciei obras.
    Agradeço a dispononilidade,
    Ana Laginha.

    • Sandra diz:

      Cara Ana
      Os dados que nos fornece não são suficientes para lhe poder dar um conselho. Fala num atelier, mas que tipo de atelier é? O que produz nesse atelier, qual o seu objetivo? Se não está aberto ao público como escoa o produto? Assim que me puder responder a estas questões penso poder dar-lhe uma dica.
      Cumprimentos
      Sandra



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue mediador.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.