Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

História da seguradora Fidelidade Mundial

O sector das seguradoras em Portugal ganhou em 2004 uma nova companhia, nascida na fase de massificação de fusões que se intensificaram entre 2000 e 2006. Foi neste período áureo de vendas e aquisições que os detentores da Fidelidade e accionistas da Mundial Confiança decidiram aliar esforços numa única entidade, a Fidelidade Mundial, nome pelo qual se conhece hoje aquela dupla de empresas.

Antes da junção de esforços, o percurso de ambas iniciou-se de forma claramente distinta, embora encerrando alguns aspectos comuns, nomeadamente a compra de outras grandes seguradoras do espectro lusitano daquele período. Porém, a abertura da então Companhia de Seguros Fidelidade (1835) não é um desses momentos, até porque os quase dois séculos que se seguiram não fizeram coincidir quaisquer rotas, tendo sido apenas no milénio da tecnologia e comunicação que Mundial Confiança e Fidelidade se uniram, originando um dos actuais gigantes do ramo em solo nacional.

Contrariamente à Fidelidade, nascida em meados do século XIX, a Mundial Confiança só viu a luz do dia em pleno início da segunda década do século XX (1913), quando a empresa com a qual mais tarde se viria a fundir já possuía uma longa experiência junto dos clientes e no mercado que recebeu esta nova entidade seguradora. Contudo, o futuro acabaria por dar provas de que os destinos se cruzam bastante no mundo dos negócios, seja para a emergência de concorrência ou de oportunidades de unir forças em tempo de crise, tal como sucedeu com estes dois pólos que se incorporaram mutuamente.

O processo oficial de junção das duas seguradoras conclui-se ainda em 2002, a 10 de Setembro, mas somente dois anos depois era lançada a marca Fidelidade Mundial. Porém, esta já existia na prática desde aquela primeira alteração, tomada com vista a reestruturar profundamente o sector dos seguros da Caixa Geral de Depósitos (CGD), ao qual pertencem a Fidelidade Mundial e Fidelidade, pois embora dispostas numa única entidade são transaccionadas em paralelo como marcas comerciais do Grupo CGD.

Presentemente, a Fidelidade Mundial tem um forte peso no mercado nacional, seja nos meios tradicionais ou na internet, destacando-se de entre a concorrência com uma vasta oferta destinada a particulares e empresas, tanto no ramo vida como no ramo não vida, através de um variado leque de serviços adaptados a necessidades concretas. É graças a esta estratégia multicanal e multi-diversificada que tem vingado em Portugal, em muito devido a uma outra característica fundamental que parece ter vindo a perder relevância nos últimos tempos neste género de negócios, a proximidade com o cliente.

Subscrever actualizações

rss

Comentários



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue mediador.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.