Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

PPR sem reforma à vista

Cada vez mais procurados, os Planos Poupança Reforma (PPR) são uma forma segura e rentável para investir o seu dinheiro. Com taxas mínimas garantidas, geralmente superiores aos depósitos a prazo, e com benefícios fiscais os PPR estão em grande e têm conquistado bastantes adeptos. Por outro lado, a crescente preocupação com o futuro da reforma da Segurança Social leva a que muitos portugueses encarem este complemento com seriedade e não como mais um seguro que lhe foi impingido.

Se está interessado em investir num PPR saiba que existem no mercado vários tipos. Pode subscrever com entradas únicas ou periódicas. Com taxa garantida ou sem taxa garantida. Com ou sem participação nos resultados. Pode ainda contratar a apólice no banco ou directamente numa seguradora. Mas independentemente da escolha que fizer, faça-a bem informado e consciente dos riscos. Até porque existem inclusivamente PPRs em forma de investimento ligados a acções. Assim tenha sempre em atenção os seguintes aspectos: rentabilidade, segurança e transparência.

Mensal custa menos

Se não tem dinheiro para investir mas pretende juntar algum dinheiro para a sua reforma, opte por um PPR que permita pequenas entregas mensais. Geralmente a taxa destes PPR é mais baixa mas basta transferir uma pequena quantia todos os meses, nem se apercebe e ao fim de alguns anos já tem um bom “pé de meia”. A transferência é automática pelo que nem precisa de se preocupar em esquecer em fazer a transferência. Além disso este tipo de PPR permite igualmente fazer entregas extraordinárias, ou seja além do valor que acordou transferir mensalmente se em determinada altura achar que pode entregar mais um pouco pode fazê-lo. Contudo deve informar-se junto da sua seguradora das circunstâncias em que pode fazê-lo uma vez que as condições mudam de Companhia para Companhia. Neste momento o Açoreana Futuro PPR Garantido, da Açoreana, anuncia uma taxa de 3%.

Tudo de uma vez

Com capital garantido e rentabilidades mais elevadas este tipo de PPR exige que o cliente tenha uma determinada quantia de dinheiro para investir de uma só vez. As taxas rondam os 3%, mas há companhias que anunciam mais. O PPR Especial T da Tranquilidade anunciava em Agosto uma taxa de 3.50%.

Resgates

Se investiu num PPR mas neste momento pretende resgatar saiba que existem situações previstas na lei para fazê-lo sem custos adicionais. Um PPR pode ser resgatado quando o segurado atingir a reforma por velhice ou os 60 anos de idade(desde que o contrato tenha no mínimo 5 anos de existência), por motivo de desemprego de longa duração, doença grave, incapacidade permanente para o trabalho ou morte, sendo que neste último caso o capital acumulado fica a favor dos herdeiros. Em qualquer uma destas situações o PPR pode ser resgatado sendo o rendimento tributado à taxa de IRS de 8%. Fora destas situações pode igualmente pedir o resgate do PPR mas terá que repôr ao fisco os montantes deduzidos ao IRS durante o contrato além de que a tributação do rendimento obtido varia consoante o tempo de vigência do contrato.

Encargos

Algumas seguradoras aplicam encargos de subscrição e encargos de gestão do PPR. Estes encargos variam de seguradora para seguradora. Por exemplo o Barclays cobra encargos de subscrição de 0.5% e a Açoreana 2.5% sobre os prémios pagos além de 0,75% de encargos de gestão cobrados anualmente. No entanto existem no mercado alguns PPR sem este tipo de encargos como o Caixa PPR Capital Mais da Caixa Geral de Depósitos.

Como sempre, antes de tomar qualquer decisão informe-se claramente das condições do PPR junto da sua seguradora. Desconfie sempre da “galinha gorda por pouco dinheiro”. Apesar de alcançarem melhores rentabilidades os PPR associados a fundos de investimento têm um risco mais elevado uma vez que dependem da oscilação do mercado. Se é daqueles investidores que não quer correr riscos opte por um produto com capital e rentabilidade garantidos. Seja qual for o seu perfil o PPR é um óptimo investimento para a sua reforma.

Subscrever actualizações

rss

Comentários



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue mediador.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.