Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Seguro de Colheitas, proteger as culturas

Se é produtor agrícola e pretende salvaguardar as suas colheitas saiba que existe um seguro apropriado para esse efeito. O seguro de colheitas pretende ajudar o produtor a ultrapassar as dificuldades que surgem por exemplo com um incêndio ou um tornado.

As culturas podem ou não ficar garantidas mediante vários aspetos, ou seja, podem estar dependentes do seu ciclo vegetativo, ou de datas específicas que variam consoante a zona geográfica onde estão situadas.

O que garante?

O seguro de colheitas garante assim uma indemnização sobre os prejuízos ocorridos com as culturas resultantes de incêndio queda de raio e/ou explosão, intempéries naturais como granizo, tornado, tromba de água, geada, queda de neve ou inclusivamente seca manifesta e continuada.

A cultura de tomate para a indústria fica ainda coberto contra chuvas persistentes e a cultura da cerejeira contra o fendilhamento do fruto.

Deve ter em atenção que este seguro tem de cobrir todas as culturas da mesma espécie que o segurado possua ou explore no mesmo concelho.

Quais as culturas abrangidas?

As culturas abrangidas são vastas e podem ir desde a cultura de citrinos, floricultura, culturas florestais, plantas ornamentais, batata, tabaco, cebola, abóbora, beringela, espargos, couves, milho arroz, abacate, ervilhas, pepinos, algodão, nespereiras, cereais e muitas mais.

Exclusões

O seguro de colheitas não abrange as árvores, estufas, ou qualquer outro tipo de capital fundiário. Não ficam igualmente abrangidas as culturas cujas sementeiras ou plantações tenham sido feitas fora das épocas normais para as respetivas regiões e ainda quando tenham sido feitas ou mantidas em condições tecnicamente desaconselháveis. Também não ficam cobertos todos os prejuízos resultantes do efeito de radioatividade ou outros fenómenos resultantes de eventos de natureza nuclear ou atómica. Os danos causados pelas alterações do meio ambiente como a poluição ou contaminação do solo, das águas ou da atmosfera também estão excluídos. Excluem-se também os prejuízos resultantes de riscos indiretos tais como: inundações (exceto as que ocorram por tromba de água e chuvas persistentes na cultura do tomate para indústria), enxurradas, deslizamento de terras, transbordamento de leitos da rede hidrográfica, transbordamento ou rebentamento de coletores, valas e canais de irrigação ou drenagem, diques e barragens, ainda que mediata ou imediatamente resultantes de quaisquer dos riscos seguros.

Início do contrato

Ao contrário da maioria dos seguros que começa a produzir efeito a partir das zero horas do dia seguinte, o seguro de colheitas apenas produz efeito a partir das zero horas do oitavo dia seguinte ao da aprovação da proposta por parte da seguradora.

Duração do contrato

O seguro de colheitas é um contrato temporário, não sendo prorrogável. Este seguro caduca na data da conclusão da colheita e, no caso específico das culturas arbóreas ou arbustivas, no momento em que os frutos são retirados da planta

Cosseguro

Como se trata de um seguro que pode garantir capitais muito avultados, o seguro de colheitas pode funcionar em regime de cosseguro, ou seja, o risco é coberto por várias seguradoras, sendo uma delas a líder. Nestes casos, o contrato é emitido pela líder, mas assinado e garantido por todas as cosseguradoras.

Se pretende subscrever este tipo de seguro tenha em atenção que a seguradora pode inspecionar as propriedades ou terrenos onde se encontrem as coisas seguras, sem marcação prévia. A recusa injustificada do segurado em permitir esta inspeção dá à seguradora o direito de anular o contrato, ainda que o tenha que fazer mediante aviso por carta registada com antecedência. Come se trata de um seguro deveras complexo não deixe de contactar o seu mediador e pedir esclarecimentos sobre todas as suas dúvidas.

Subscrever actualizações

rss

Comentários



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue mediador.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.