Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Seguros Low cost, pode significar baixa proteção

Cada vez mais o cliente escolhe o produto não tanto pela sua qualidade, mas mais pelo preço. Com a atividade seguradora a situação não é diferente. A expansão das tele seguradoras trouxe seguros a mais baixo custo que os das seguradoras com postos de atendimento ao público presenciais. O serviço não tem de ser obrigatoriamente pior, é apenas diferente.

Qualidade acima de tudo

Vivemos em tempo de crise, é verdade. Mas a crise não pode ser desculpa para se adquirir serviços de inferior qualidade. É precisamente porque vivemos tempos de crise que devemos ter a certeza que temos um ombro competente em quem nos apoiar numa situação complicada. Temos de ter igualmente a confiança que, em caso de acidente, não temos exclusões que desconhecíamos fazendo muitas vezes com que o nosso sinistro seja declinado. Ou uma franquia demasiado elevada ou em coberturas essenciais como na Assistência em Viagem. Os seguros low cost, cada vez mais em voga, prometem “galinha por pouco dinheiro”, mas a única parte que ganha com os mesmos é a seguradora. O cliente perde na qualidade do serviço quer a nível de atendimento quer a nível de coberturas.

Compare garantias

Antes de subscrever um seguro, seja ele automóvel, saúde ou vida compare bem as coberturas. No automóvel, por exemplo, pode conseguir preços bastante mais baixos numa tele seguradora, mas se comparar essas coberturas com as de uma seguradora tradicional verificará que afinal o produto é bem mais completo nesta última. Tenha em atenção por exemplo se garante a cobertura de ocupantes do veículo ou se tem quebra de vidros. Um vidro pode ser bastante caro e muitas vezes pode significar apenas uma pequena diferença no preço total do seguro. Ter bom preço mas não ter boas garantias não é sinónimo de um serviço de qualidade.

No que me diz respeito sou a favor dos mediadores. Dedicam-se mais ao cliente e tentam satisfazer as suas necessidades, pelo que o preço pode não ser o mais barato do mercado, mas o serviço é, de longe, o melhor. Posto isto, o meu conselho é que não troque o serviço do seu mediador por uma seguradora onde perde horas ao telefone. Não deixe de procurar um bom preço, mas compare sempre as coberturas. Sinta-se seguro na hora do sinistro ao ter a garantia que tudo ficará resolvido. E garanto-lhe que não há preço que substitua isso.

Subscrever actualizações

rss

Comentários



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue mediador.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.